Google+ Followers

quarta-feira, 18 de maio de 2016

O CONCEITO DO HOTEL FAZENDA


“Um Hotel Fazenda  é o casamento da  Hotelaria  com a Natureza!”

                         Leonardo Soares


Um Hotel Fazenda  tem toda  infra estrutura de um hotel juntamente com o  charme de uma  fazenda tipicamente  rural. Esse  tipo de hotelaria  muito comum  nas regiões onde  o turismo de lazer é mais  procurado principalmente  por  famílias e  crianças,  grupos de escolas com o turismo  pedagógico e turistas da melhor  idade. E por fim,  empresas  para  realizar  eventos corporativos.

Geralmente esse conceito tem um diferencial  enorme ao  de um resort  ou um hotel corporativo. Na maioria das vezes são fazendas com casarões antigos que algumas  famílias  os  transformaram em estabelecimentos turísticos. Dificilmente existem hotéis fazendas  que foram projetados para esta finalidade. Se existem, são poucos, pelo menos os  que conheço tiveram uma história, uns foram fazendas de café, outros  fazendas de criação de gado, outros de plantação de canas com seus moinhos e  engenhos. Ocorre que de  alguns  anos para cá, as  famílias herdeiras dessas propriedades  que migraram  para as  cidades  e capitais,  não tiveram interesse  em dar  continuidade aos valores  dos  seus pais e avós, muitos  destas  propriedades  estão fechadas e sem produtividade alguma.

Como o advento da globalização o turismo  consolidou-se de uma maneira  mais comercial, logo  muitas  famílias fazendeiras viram  um  nicho  de oportunidades e negócios em  suas propriedades com maior potencial de lucratividade, muito  melhor  que as  dos  seus antepassados e começaram a abrir  suas  fazendas para  receber  turistas, inicialmente grupos  escolares de crianças.

Atualmente os Hotéis Fazenda é um dos segmentos  que mais crescem em todo  território  nacional, tendo em vista  que o Brasil é um celeiro dessas propriedades.

Mas  como todo  hotel de fato  precisa ter uma  administração hoteleira profissional, um Hotel Fazenda  não  fica atrás.  Para administrar esses empreendimentos é  preciso antes de tudo  ter Gestão  hoteleira. A operacionalidade de um hotel  fazenda  é  tão complexa  quanto  um resort, além do  gestor  ter  habilidades administrativas, faz-se  necessário também  ter paixão pela  natureza e pelos  animais.



O Hotel Fazenda pode  atender  todos  os segmentos hoteleiros, destaco  algumas das  principais  atrações:

·        Atividades  recreativas  em trilhas; piscinas, rios, açudes, lagos, etc.

·        Atividades  recreativas  para as crianças, do tipo;  corrida de carneiros, alimentar os  bichinhos, as aves, bois, ordenha nas vaquinhas, andar de charretes, andar de cavalos, mexer  em hortinhas, colheita de hortifrúti, pescarias, enfim, pode-se  criar muitas atividades  ao  ar livre.

·        Uma  das melhores  receitas deste  segmento está  na  gastronomia! Comida de fazenda é comida  da roça, nada  de filé  à parmegiana, Frois gras,  frutos do mar,  tenho visto  os  cardápios desses  hotéis  que  mais parecem  fast-foods!  De fato todas essas coisas podem ser elaborados no hotel fazenda, mas perde e muito  na  sua  verdadeira  identidade. 100%  dos  clientes  e hóspedes  são de cidades  grandes  que buscam num  hotel fazendo  uma  experiência propriamente  dita, ou seja, de  f-a-z-e-n-d-a,  da  roça, é na verdade  um  turismo de experiência. 30% dos  hospedes  são de  crianças,  o que de fato incentiva os  pais a terem  opções de lazer  para  seus filhos e outras  atividades para os idosos também.


A  Gastronomia típica de um hotel  fazenda


Dependendo da  regionalidade  em  que se  encontra o  hotel fazenda é fundamental colocar pratos  típicos  de cada  região, neste  nosso  exemplo  vou ilustrar  pratos típicos  do  Nordeste Pernambucano, mas poderia ser  do Goiano, do Serrano, do  sul, do norte, etc.

Desjejum:

Para um delicioso buffet de Café da manhã  tipicamente  regional pernambucano, e ressalto  que  todos  os itens do  café  da manha  sejam genuinamente feitos na própria fazenda, assim teríamos:

·       







Ovos caipiras/capoeiras fritos, mexidos e omeletes;
·        Bolo  de mandioca
·        Bolo de rolo
·        Bolo de macaxeira
·        Bolo de milho  verde
·        Bolo Souza Leão
·        Pães diversos  produzidos  na  própria  fazenda;
·        Iogurtes  e coalhadas naturais
·        Sucos  naturais;laranja, acerola, abacaxi;
·        Tapioquinha feita  na  hora
·        Batata doce  e banana da terra cozidas;
·        Geleias: de jabuticaba, laranja, umbu, jaca.
·        Cuscuz de milho;
·        Broas (cooks)
·        Frios:  Queijo de coalho, frescal e requeijão, salaminho, presunto;
·        Pão de queijo (quentinho)
·        Pé de moleque
·        Leite, chás, café, água mineral.
·        Manteiga  da fazenda
·        Empadão de frango
·        Carne seca (jabá) à moda;
·        E por fim, surpreenda seus hóspedes  com uma  garrafa de espumante no buffet! Um diferencial  que  encanta e faz  com que seus  hóspedes  se sintam  importantes.


Almoço na  Fazenda:

A  culinária da  fazenda é  simples, porém exige os  cuidados  na higiene e manipulação dos alimentos, são fatores determinante para  o  sucesso de qualquer estabelecimento  que  serve alimentação. Um cardápio típico do nordeste  pernambucano:

·        Galinha caipira/capoeira tipo (guisado) C/ quiabo
·        Carne de sol  na manteiga de garrafa
·        Peixe  assado e recheado com farofa de mandioca
·        Feijão verde (de corda)
·        Carne seca com jerimum (abóbora)
·        Farofa de banana da terra
·        Arroz branco
·        Mandioca (cozida)

Sobremesas:

·        Doce de mamão com coco
·        Compotas: goiaba, banana, etc
·        Doce de caju (tipo passas)
·        Queijo de coalho com doce de goiaba

Jantar na fazenda

·        Carneiro ao leite de coco (ensopado)
·        Filé de peixe grelhado
·        Filé de frango grelhado
·        Arroz de forno
·        Pães  diversos
·        Inhame, cará, batata doce, cozidos.
·        Sopa de legumes
·        Sopa de galinha
·        Purê de  macaxeira

Sobremesas

·        Pudim de leite
·        Cartola (  banana frita, queijo de coalho, açúcar e canela)


Complexidade operacional

Um hotel fazenda tem como atração principal sua estrutura de lazer, principal produto de venda. Todos os  funcionários do hotel  precisam de treinamentos constantes  para vender  os  serviços  do hotel. Os rigores da higiene, limpeza e organização são requisitos fundamentais para  qualquer empreendimento hoteleiro, nos  hotéis  fazenda essa  atenção deve ser  dobrada, quanto a mosquitos e pragas, principalmente nas  praças de alimentos. Buffets ao ar livre atraem muitas moscas é preciso criar  mecanismos e técnicas  para afugentar insetos. Uma boa alternativa  é  plantar arruda  ao  redor  do restaurante é um repelente  natural, outra  opção  seria, ao montar  um buffet  espalhar  folhas de manjericão, folhas de limão que também  funcionam  como um ótimo repelente.

Quanto a  estrutura  operacional de  um hotel  fazenda, de fato,  não  diferencia a de outros  hotéis. Um ponto importante  considerar  é  a terceirização de serviços. Deve-se administrar a  operacionalidade  com bastante critério  pois  a logística nestes  empreendimento  é  complexa,  por  se tratar  de um  hotel afastado  do meio urbano, sem  duvida, faz-se  necessário  uma estrutura  condizente com os  serviços  oferecidos. Para  os  serviços de Alimentos e Bebidas  uma  câmara fria é  essencial, um  almoxarifado  bem  estruturado  para  suprir  com um estoque  mínimo todos  os setores  do  hotel.  Outra  questão  é  quanto à mão de obra, se bem  que há  muitas  famílias que  moram  próximos  como  sítios e chácaras, porém as  vezes  é  preciso contratar pessoas  da  cidade mais  próxima e para estes  faz-se  necessário ter um  alojamento digno para  aqueles funcionários que por uma  questão de deslocamento, possam alojar-se durante  a semana.

Por fim, deixo minha crítica aos  os novos  aventureiros que pretendem transformar  suas fazendas  em propriedades hoteleira. Não pensem que administrar um hotel  fazenda  é  o mesmo que administrar  uma  fazenda propriamente  dita! São segmentos completamente  diferentes  e exigem profissionais competentes para gerenciar  esse  tipo de  negócio. Muito menos, transfiram a hierarquia familiar  para  dentro  da sua empresa, pois enfrentará sérios  problemas  na  administração.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Os hotéis "Senzala" deste país


Hotéis  Senzala

                                           Eles  vendem essa ideia  para seus clientes!

                                      Os clientes logo  imaginam   que  tudo  é assim...


         Mas  na  realidade  é assim...local onde  é feito seu lindo e delicioso risoto de frutos do mar...



Estamos em Pleno século XXI, mas lamentavelmente ainda encontramos estabelecimentos ditos  hotéis, com regimes que poderíamos chamar de trabalho escravo. Infelizmente ainda existe regiões por esse país afora com essa pratica lastimável.
Longe dos holofotes do ministério do trabalho e da supervisão das autoridades competentes, encontramos estabelecimentos desastrosamente administrados por famílias sem o mínimo de escrúpulos. Vendem seus estabelecimentos para o mercado  como se  fossem empresas idôneas, sérias, politicamente  corretas, mas  que  na  pratica,  são  verdadeiros  currais de senzala, literalmente.
Tratamo-nos de alguns estabelecimentos rurais, tipos hotéis fazenda em plena atividade. Adentramo-nos nos bastidores desses empreendimentos e deparamos com os horrores da idade média!
Nas mídias  sociais, nas  revistas e até mesmo  nas  agências e operadoras  vemos  anúncios  desses  hotéis, com lindas imagens de famílias felizes, tudo perfeito,  como se  fosse  um paraíso. Mas não percebemos que por  trás dessas propagandas, existe uma  mão de obra  escrava e  bastidores que mais  se assemelham as  masmorras das  senzalas.  As agencias  e operadoras  desconhecem ou sequer querem saber  como vão hospedar  seus clientes, fazem  seus “famtur”,  suas  visitas  técnicas  apenas  no  externo, mal sabem  que tudo é maquiado para  receber os agentes e  coordenadores. Mas sequer  exigem documentos, laudos técnicos,brigadas de incêndio, certificações legais, etc.  documentação, bem como  todos  esses  detalhes, como por exemplo, nos serviços de Alimentos e Bebidas:

·        Certificado do Curso de Boas Práticas dos funcionários;
·        Atestado de Saúde Ocupacional dos funcionários do hotel;
·        Utensílios apropriados para armazenamento dos alimentos e bebidas
·        Disponibilização de fardamento adequado das brigadas com trocas diárias.
·        Certificação de Higienização de todos os reservatórios de água
·        Os laudos das análises bacteriológicas da água de consumo
·        Atestado de Regularidade dos Bombeiros, Licença Sanitária, Meio-ambiente;
·        Certificação da empresa de dedetização.
·        Banheiros adequados para funcionários com abastecimento com  papel higiênico, papel toalha e sabonetes bactericidas;
·        Adequação de todas as lixeiras da cozinha, bar e banheiros
·        Local adequado para o armazenamento do lixo;
·        Certificação da empresa para coleta do óleo proveniente das frituras e  caixas de gordura;
·        Disponibilização de sabonete bactericida para lavagem de mãos. 

Acima foram listados condições mínimas que uma  operadora e /ou  agencia  deveria exigir  para firmar  um contrato de parceria  com esses  estabelecimentos.
Mas nada  disso é praticado  nos  hotéis  Senzala. Os coronéis que administram esses lugares, só  estão lá  por comodismo  e   por  conveniência,  são  os  famosos carrascos da senzala, os jagunços  pagos  pelos  seus senhores, e ai daquele  que faça  menção de  exigir  alguma  coisa, não  duvido  que  pode ser levado  até  para  o tronco.
Não  adianta  ficar trocando pedidos de desculpas  por e-mails ou no TripAdvisor, etc. com os  clientes, quando sequer, compram uma  luva para o funcionário da limpeza. Não  adianta contratar a  galera de Propaganda e Marketing e gastar quantias  enormes em produção de vídeos, prospectos, out-doors sendo que o  funcionário sequer tem um uniforme digno para usar no seu  ambiente de trabalho, na  realidade, se quiserem seus  empregos,  que  tragam uniformes de casa, essa  é a regra, aliás, é a  lei! Dormem e fazem suas  refeições  em ambientes completamente  desumanos, sem nenhuma  estrutura de higiene e qualidade. Os alimentos servidos para eles são como  rações para  animais, menosprezam seus funcionários, os tratam como se fossem  propriedades,  como se fossem  gado.
Os proprietários  são  os “senhores  do  engenho”, criaram paradigmas passados  de geração em  geração, onde acreditam  que por darem uma  oportunidade de emprego  a  um pobre e digno matuto, estão  fazendo um grande  favor.
Quando me refiro ao um pobre matuto, estou me referindo exatamente a esse pobre coitado que já tem uma experiência de vida difícil na roça, famílias humildes da roça, que se sentem agradecidos por terem  um emprego, mesmo que sejam  em condições desumanas. Numa conversa com um deles, eu perguntei  por que  ele sujeitava-se a tais condições de trabalho? E, com sua ignorância respondeu: “ Aqui  é melhor que ficar  o dia  inteiro trabalhando no roçado sob um sol  escaldante”. E para minha surpresa,  ele se dirige  e faz a seguinte pergunta:
Senhor Leonardo, o  que é na  verdade tirar  férias?

Eu perguntei por quanto  tempo  o jovem rapaz trabalhava  naquele hotel, e prontamente  me responde:
-Eu  trabalho aqui  já faz  quatro anos!
E nunca tirou férias?
-Nem sei  o que  isso, só ouço  falar!
Ah  então  você  vendeu  suas férias?
-Não  entendi senhor Leonardo, vender férias? Como assim?

Na verdade, esse funcionário   mesmo  tendo uma carteira de trabalho registrada, lhe  era  negado  saber  dos  seus  direitos. Nunca lhe pagaram as férias, bem como as multas, resta saber se realmente depositam seu  FGTS.
Uma palestra de conscientização de direitos e deveres para os colaboradores, associado a treinamentos pontuais, estrutura e equipamentos modernos, sem duvida elevaria o nível de motivação, satisfação e qualidade no ambiente de trabalho, mas  no Hotel Senzala  isso  seria uma  utopia, jamais alguém se atreveria a sequer comentar sobre essa possibilidade.
Os Recursos Humanos do Hotel Senzala, só tem o nome de RH no  e-mail, mas na prática é apenas para carimbar  carteiras de trabalho.
O Hotel Senzala tem o disparate de cobrar os 10% dos seus clientes e não repassá-los para os colaboradores! E todos aceitam essa condição justamente por ter medo de reivindica-los. Pois sofreriam represálias, são condicionados ao medo, a punição, a demissão!
Além dos funcionários trabalharem em uma estrutura precária, sem condições mínimas de higiene e profissionalismo. Os hóspedes, clientes, funcionários e até mesmo os próprios  proprietários  recebem uma alimentação sem qualidade, perigosa e capaz de levar todos  para o hospital.
Tristemente ainda existem tantos  Hotéis Senzala por esse Brasil a fora, cabe a nós profissionais da hospitalidade  educar esses proprietários a comprarem a ideia de excelência  em serviços  hoteleiros, consequentemente melhorarão suas receitas e  baixarem  seus  custos operacionais. Precisam se conscientizar  que o sucesso de suas  empresas  dependem exclusivamente  do patrimônio intelectual,  seus  colaboradores!  A  blindagem cultural também contribui e muito para cristalizar essa  cultura  em muitos  estabelecimentos.


quarta-feira, 27 de abril de 2016


A POSTURA DE EXCÊLENCIA  NO ATENDIMENTO  AO  HÓSPEDE

 A postura de excelência no atendimento ao hóspede não se mede simplesmente por um sorriso nos lábios e um mero  cumprimento educado, excelência se mede pela  atitude  do colaborador!

Tenho me deparado com cada figura, cada tipo de atendente, na linha de frente de alguns hotéis e restaurantes que chega a doer a  espinha  dorsal. Não há coisa mais desagradável para um  hóspede quando se depara com um uma figura dessas  dentro  do hotel.  Certa vez ouvi uma frase “ cada  um no seu  quadrado...”  essa frase  cabe  direitinho na  hotelaria, pois no  ramo da  hospitalidade  não tem tolerância  para  amadores. Cada funcionário do hotel é uma peça chave para a excelência nos serviços, o faxineiro, o jardineiro, o manobrista e não tão menos importante, as camareiras, todos são profissionais de extrema importância para se  atingir  a  excelência  no atendimento  ao  hóspede.
Quando eu contrato  pessoas para  minha  equipe procuro  identificar nelas peculiaridades, busco  descobrir talentos inatos, muitas  vezes  aparece  um jovem para  uma  vaga de mensageiro  e identifico  que  ali na minha frente  tem uma pessoa com vocação para ser um excelente cozinheiro, ou mesmo um  futuro  Chef de cozinha, nos  crivos  identificamos, perfis  geniais, verdadeiros talentos  que por  falta de uma oportunidade são levadas  como a grande maioria,   ocuparem  funções e cargos  que nada tem a ver com suas vontades. Na hotelaria  temos  quatro tias  do atendimento: Simpatia, Empatia, Apatia e Antipatia duas delas precisam ser companheiras  de  todo  funcionário do  hotel, simpatia e empatia  são ingredientes  fundamentais para compor o processo de excelência  no atendimento.
Quando o hospede se depara com uma tia  dessas pela  frente, espera-se  que não seja as tão temidas Apatia e Antipatia pois essas destroem  quaisquer tentativa de  relação profissional no hotel.
Devemos lembrar sempre que a hotelaria trabalha com o produto mais perecível que existe, o tempo, uma vez perdido, jamais o recuperaremos. Portanto nunca é demais lembrar que todos os funcionários do estabelecimento de hospedagem devem empenhar-se para divulgar, enaltecer e porque não, vender o seu local de trabalho, todos  dentro  do hotel são vendedores!


quarta-feira, 6 de abril de 2016

OS RECURSOS HUMANOS DOS HOTÉIS INDEPENDENTES



É impressionante a falta de profissionalismo de alguns profissionais que estão ocupando cargos neste importante departamento, os Recursos Humanos. Nas últimas semanas venho ligando  para  vários  hotéis e pedindo  para me  transferirem ao  setor  de RH, e fico  estarrecido com as figuras  que  estão lá  respondendo  com Gerente de RH,  Gerente de DP, Analista de RH. Sequer sabem atender elegantemente um telefone, mais parecem que  estão  em suas  casas  atendendo  parentes! Será que essas pessoas são felizes em seus empregos? São frias, não correspondem a essência da hotelaria. Entendo que se essas pessoas atendem tão pessimamente um potencial candidato para trabalhar nos seus hotéis, imagino como os funcionários  atendem  os  hóspedes. Essas pessoas deveriam saber que o RH de um hotel é o cartão de visitas, é a vitrine da hospitalidade, é no RH o  coração do hotel, é este departamento  que treina,  que desenvolve os  profissionais  no seu  dia a dia.

Gostaria de ressaltar que o setor de RH  é  R-E-C-U-R-S-O-S   H-U-M-A-N-O-S  propriamente  dito! Será que essas pessoas estudaram Gestão de Pessoas ou Administração de Recursos Humanos?  Tenho lá minhas duvidas!  Se não sabem atender um candidato ao telefone, mal sabem recrutar, muito  menos  selecionar.

São péssimos empregados -  nunca profissionais- sem dúvida,  contratam  péssimos funcionários, estão  nestes  cargos  por  comodismo, parentesco e muitas  vezes familiares do  dono.Não  dão  um feedback  do  envio  dos  currículos, não agradecem  ao candidato pelo interesse  em fazer parte daquela  empresa. Se  comportam  como verdadeiros(as)  arapongas -  os  parasitas de Recursos  Humanos.





terça-feira, 5 de abril de 2016

A Importância do Café da Manhã e como os pequenos hotéis podem oferecer um delicioso e variado buffet.
Não é apenas o café da manhã a refeição mais importante do dia, é também a utilidade mais importante quando se hospedar em um hotel, seja de grande ou pequeno porte. Quando se fala de um café da manhã de um hotel (cinco estrelas), não resta dúvida da sua beleza e deliciosas guloseimas.  É uma tolice de alguns hoteleiros querer economizar nesse item que é o mais importante de um hotel. Essa historinha de “pão na chapa”  e  “ café de padaria” é  coisa  de gente mesquinha, a frustação dos  hóspedes  é  tremenda  quando  se depara  com um misero bufezinho medíocre no hotel.
O café da manhã é um evento mais esperado pelos hóspedes de todo hotel. Segundo uma pesquisa realizada pela Hotels.com.  98% dos viajantes do mundo inteiro alegam a importância de se hospedarem num hotel onde o café da manhã tenha maior variedade de itens, mesmo que só alguns comam um pãozinho com uma xícara de café, mas se sentem importantes em estarem diante de tantas guloseimas, existe o fator de status e fartura que faz bem ao ego de qualquer um. Portanto não me venham com essa historinha de café da manhã econômico, pura falácia de quem não tem espirito hoteleiro e sim, de capitalista.
Seu hotel pode ter tudo, lindos quartos, wi-fi, piscina, academia, decoração de luxo. No entanto, uma experiência sem um bom café da manhã será incompleta. Afinal de contas, os viajantes escolhem um Bed & Breakfast ou acomodação menor para a hospitalidade pessoal.
Como disse, a Hotels.com pesquisou milhares de viajantes em todo o mundo, e descobriram que o café da manhã é agora o quesito mais importante para se ter comodidade para os hóspedes do hotel no momento da reserva.
Porque  um bom Café da manhã é importante para os clientes?
Um buffet de café da manhã traz muitos benefícios para os hóspedes que muitos donos de hotéis sequer imaginam. Um buffet de café da manhã satisfatório acrescenta facilidade e conforto a estada dos hóspedes, tornando-se uma experiência muito mais agradável de modo geral.

Isto é o que um bom café da manhã em seu hotel significa para seus hóspedes:
Não precisa sair do hotel para procurar uma padaria ou uma cafeteria. Os viajantes não sabem para onde ir para obter um café da manhã decente, porque eles não estão familiarizados com o seu destino. Sem o seu buffet de café da manhã, uma grande quantidade de tempo seria perdido à procura de um bom lugar para comer.
Pronto e a disposição. Não há nada mais reconfortante para um hóspede do que saber que a partir do momento em que acorda, sua primeira e mais importante refeição do dia está pronta e lhe esperando.
Não é preciso ir longe. Alguns hóspedes não têm nenhuma intenção de deixar o hotel e ficaria muito feliz para comer onde eles estão planejando para passar o dia.
Ansioso para o café da manhã. Acontece que a partir do momento que os hóspedes fazem uma reserva no hotel, eles já estão pensando sobre o que eles vão comer, fato.
Quais são as últimas tendências de buffets de café da manhã nos hotéis?
O Café da manhã tornou-se tão popular que as tendências começaram a ter lugar em todo o mundo, com formas únicas e novas para oferecer aos hóspedes um delicioso café da manhã.
Este pode ser um mundo totalmente novo para alguns donos de hotéis  de pequeno porte, e você pode estar pensando por onde eu começo? Para ajudar, dou algumas dicas para as novas tendências:
Lay-out do buffet:  Não basta despejar um monte de pães, bolos e frutas em cima de um balcão, é preciso ter antes de tudo, estética, entender de composição e harmonização de ambiente e saber equilibrar os itens e disponibilizá-los corretamente em seus devidos lugares. É preciso compor o início, meio e fim de um buffet de café da manhã. O corte das frutas e dos frios exigem técnicas de garde-manger!
Influências étnicas. Lembre-se um hotel tem hóspedes de toda parte  do  mundo. Isto envolve paladares asiáticos por exemplo, ovos mexidos com  chorizo ​​picante, e panquecas de leite de coco, até  macarrão para  os orientais. Não é por que seu hotel está situado no nordeste do Brasil que  você vai colocar  batatas  doces,  cuscuz de fubá ou tapioca, só por que  esse  é a  dieta  regional, não se limite a simplesmente  ter um café  regional.
Frutas  frescas e comidas  orgânicas: O seu menu tem de ser capaz de atender a saúde consciente do hóspede que gosta  de frutas frescas, pães orgânicos, doces de frutas orgânicas, muitos  seguem  dietas regradas com restrições de açucares, glúten,  produtos  diets e lights.
Proteínas. Um café da manhã obrigatoriamente tem que ter  proteína é ideal para  e saúde dos hóspedes. Fornecer omeletes, ovos mexidos, filezinho, salaminho, linguiças, ao lado de uma variedade de legumes grelhados como espinafre, tomates e cogumelos. Você pode oferecer para incluir esses legumes na omelete, ou empilhá-los em um sanduíche de omelete.
Iogurte. Diferentes variações de iogurte são a última moda. Seu pequeno hotel poderia oferecer iogurte natural, com sabor, ou grego com mel, frutas misturada, granola ou mesmo nozes.
Um hotel pode servir seu café da manhã de muitas maneiras diferentes - a partir de um buffet, ou mesmo de um a la carte para o serviço de quarto. Realmente depende de que segmento o seu pequeno hotel quer  atender e  o que gostaria servir a seus hóspedes.
Se o hotel não dispõe de instalações de cozinha suficientes ou equipamentos, uma parceria poderia ser formada com um café local ou padaria para atender o café da manhã para seus hóspedes. Mas  lembre-se, nada mais elegante e por questão de identidade, priorize sua marca oferecendo itens elaborados  no seu  próprio hotel.
Veja  a seguir  o  resultado da  pesquisa  em seis  países europeus sobre  as tendências de um  café  da manhã e os  mais  importantes:
Tipologia:
·  English Breakfast: Pães, torradas, bacon, salsichas, ovos  fritos e mexidos, queijos, tomates  grelhados, suco de frutas, salada de frutas e flocos de milho.
· Sparkling wine breakfast: roscas, croissants, manteiga, salsicha e queijos fatiados, geleias, salmão defumado e espumante
· Continental Breakfast:  roscas, croissants, manteiga, geleias e marmeladas
·  Sport Breafast:  pão  integral, frutas, flocos de milho,  manteiga, suco de laranja, iogurte  light, queijos  brancos.

Como você pode transformar o Café da manhã numa receita adicional?
O café da manhã não é só beneficiar e trazer valor para os  hóspedes, ele também pode gerar receitas adicionais para o seu hotel!
Trata-se de um “upsell”  uma venda  extra fácil que pode ser adicionado ao menu de room-service do  seu  hóspede, ou  no ato  da  reserva!
Um pacote c/ café  da manhã na cama poderia ser criada e adicionada a todas as diferentes tarifas e tipologias de quartos do seu hotel. Outra  excelente oportunidade é  atrair  um publico  externo, oferecer  seu  café da manha  para transeuntes, executivos de empresas  nos arredores  do hotel.

sábado, 2 de abril de 2016

Os problemas dos hotéis de pequeno porte (independentes)

Basta perguntarmos para a maioria dos empresários do ramo, como está a ocupação dos  seus estabelecimentos, tão  logo, recebemos a resposta: “Está muito  ruim, essa  crise tá feia...”
Já alguns anos venho acompanhado esse mercado com muita observância, de fato, a crise existe! Mas não é a responsável pela baixa ocupação de alguns hotéis. Muitos   fatores e também erros de proprietários contribuíram para desacelerar a demanda de hospedagem dos hotéis, destaco alguns:

Companhias aéreas! Sim, por incrível que pareça hoje os voos regulares em determinas localidades também contribuíram enfaticamente com a baixa ocupação dos hotéis. Antes quando os voos eram poucos ou quase inexistentes, forçavam os viajantes a permanecerem mais tempo nos hotéis. Atualmente, alguém viaja para uma reunião de manhã e retorna no final do dia, pela flexibilidade de voos, o que antes era mais difícil.

Concorrência das redes hoteleiras! Não se pode negar essa realidade, os hotéis de redes estão invadindo as cidades interioranas de todo o Brasil. E, se a hotelaria independente não se adequar as novas tendências hoteleiras, fecharão suas portas.

Má gestão!  A falta de profissionalismo de alguns gestores/proprietários eu acredito que seja a maior causadora dos problemas dos hotéis. Ao visitar esses estabelecimentos, ou mesmo ler os comentários no TripAdvisor, de imediato um hoteleiro profissional detecta os vilões da má administração. Outros profissionais que nos fornecem com riquezas de detalhes a problemática dos hotéis, são os taxistas! Sim, essas figuras muitas vezes ignoradas pelos donos de hotéis podem acabar com a reputação de um hotel, bem como tirar o hóspede do hotel e levar para outro concorrente, não nos esqueçamos que são eles os principais anfitriões do Aeroposto a os hotéis, portanto senhores hoteleiros, tratem bem esses profissionais! Um exemplo: Peguei um taxi em frente a um shopping onde há um hotel recém-inaugurado ao lado do shopping. Perguntei ao taxista se o hotel era bom, pois estava em um outro hotel e gostaria de me hospedar naquele hotel, o que ele me revela? “Eu aconselho o senhor não se hospedar nesse hotel..., todos os hóspedes estão reclamando dos serviços, do café da manhã... e o gerente não faz nada,eu sugiro  o  hotel X que  é  muito  bom  e tenho falado  com  muitas pessoas que se hospedam lá...” Como vê, basta uma voltinha de taxi  que já coletamos informações da  cidade.



quarta-feira, 23 de março de 2016

RM-Revenue Management  na hotelaria  independente

Falar  em RM  para alguns donos de hotéis  é um bicho  de sete cabeças! Mais parece que estamos sendo arrogantes e subestimando os  empresários do segmento hoteleiro. Certo dia um  proprietário quase  me  engole  quando  comecei  a falar  sobre  essa  ferramenta e quase me bate  quando  perguntei  sobre  seu  RavPar!
Muitos  ainda  são resistentes aos novos  conceitos  da hotelaria moderna, ainda mantém  seus  hotéis  para  alugarem quartos em vez  de venderem  serviços, é  impressionante! Depois  ficam culpando  a crise e a  concorrência por suas baixas  taxas de ocupação  em seus empreendimentos.

De uma maneira  simplificada  vou explicar o que é RM. Pois trata-se de Gestão de Receitas!
Este tema RM tem merecido um destaque importante nos setores da hotelaria e turismo,  vem sendo vulgarmente conhecido por revenue management.

A gestão de receitas é uma função através da qual se pretende maximizar as receitas de um negócio, utilizando estratégias e táticas que permitam identificar micro-segmentos de mercado, otimizando-se a disponibilidade do produto e o seu preço, para cada um dos segmentos identificados. Esta função é, por isso, uma forma sofisticada de gestão da oferta e da procura, através da manipulação do preço e da gestão da capacidade disponível. Existem diversos autores que referem que a aplicação de um programa de gestão de receitas ajuda as empresas a vender o produto certo, na hora certa, ao cliente pretendido e ao preço certo.
Os programas de gestão de receitas começaram a ser desenvolvidos no final dos anos 80, especialmente em empresas de companhias aéreas, posteriormente tendo o seu uso conduzido à obtenção de resultados bastante positivos na hotelaria.

Muito comumente praticado  pelas  cadeias  hoteleiras, atualmente a  hotelaria independente começou  a perceber  que essa  ferramenta  é de fundamental importância nas  suas operações.
Um programa de gestão de receitas (RM) para ser implementado com sucesso deve ser focalizado no preço de venda e não nos custos. Para equilibrar a oferta e a procura, deve substituir o preço baseado no custo pelo preço baseado na procura do mercado, deve reservar uma quantidade suficiente do produto para os clientes de maior valor, deve explorar o ciclo de valor do produto e deve reavaliar continuamente as oportunidades para gerar receitas.

Métodos e técnicas

Os métodos e técnicas adotados num programa de RM, gestão de receitas podem ser extremamente sofisticados, como aqueles que são utilizados atualmente nas companhias aéreas, ou podem utilizar-se aproximações mais simples como algumas desenvolvidas por redes  hoteleiras. Quando os hotéis começam a adotar técnicas deste tipo utilizavam um gráfico de controle da procura, no qual se representa a procura esperada para determinado período em função do número de dias em que a reserva é efetuada. Se para determinado dia o hotel recebe mais reservas que o esperado, a procura é considerada elevada e o desconto no preço dos quartos reduzido ou eliminado. Pelo contrário, quando o hotel recebe menos reservas que o esperado, é lançados campanhas promocionais e descontos no preço para tentar aumentar a procura.