terça-feira, 28 de junho de 2011

QUAIS CRITÉRIOS PARA CONTRATAR PESSOAS PARA TRABALHAR EM SEU HOTEL?


Muito se discute a respeito do porque do mercado não oferecer “mão-de-obra  qualificada, mais precisamente nas regiões norte e nordeste do país.
Todo “dono de hotel”,   quer contratar uma recepcionista , uma camareira, e ou um garçom com experiência ( vícios) de outros meios de hospedagem. E além do mais, os cabides de empregos; família e parentes.
Todo “hoteleiro” quer contratar pessoas com espírito de servir, sem servilismo, pessoas que ama a hospitalidade, pessoas cultas com nível cultural bastante elevado,pessoas que gostam de gente, pessoas que gostam de trabalhar em equipe, pessoas comprometidas eticamente com suas atribuições.
Eu particularmente, abomino estes candidatos que aparece com currículos mentirosos, com “cursos enlatados”  feitos nestas escolinhas ( geralmente franquias)que ministram cursos para todos os segmentos, não vou citar aqui os nomes das franquias por questão de ética.  Minha experiência reforça a minha teoria que não vale nada estes “cursos enlatados”, que os candidatos adoram fazer apenas para receber um certificado de que participou de determinado “ curso”  e, acreditam que terão melhores chances de conseguir uma vaga no mercado de trabalho.  O propósito da franquia de fornecer um profissional qualificado para hotelaria é até valido, porém não atende a real necessidade dos dias atuais. Cito um exemplo: recentemente recebi uma mala direta de determinada “ escolinha”, oferecendo  cursos de garçom,  curso de recepcionista, curso de camareira e por ai vai...  muito bem, quando questionei quem era o professor que iria ministrar o curso de garçom? Fiquei impressionado que era um Ex-funcionário, que exercia a função de Commis (auxiliar de garçom)em nosso restaurante. Agora pergunto, que competência tinha ele um iniciante (commis), da arte de servir  ministrar uma aula de garçom, uma profissão muito nobre e que exige habilidades de diplomacia, alto grau de etiqueta e, o mesmo não  tem nem o ensino fundamental completo.
Portanto, como disse, essas escolinhas querem apenas encher suas salas de pagadores de mensalidades e não se preocupam em  contratar um profissional  competente para ministrar as aulas.  E contratam o Zezinho qualquer, neste caso os abridores de garrafas.  É lamentável!
Atualmente, sou eu mesmo que ministro os cursos para os funcionários contratados, sob minha responsabilidade com embasamento intrínseco na ótica da hospitalidade. Quando treino uma camareira é para que ela perceba o valor da profissão, para que almeje outros horizontes, para que ela entenda que não é uma “empregada domestica “ que é o que mais se ver nestes  hotéis gerenciados por famílias e parentes. E enalteço sua função que é tão importante para o empreendimento, da mesma forma  que um Gerente Geral.
Mas o pior que se ver em muitos hotéis do interior, são verdadeiros currais  gerenciados por donas e donos que pagam uma miséria e querem ter uma equipe motivada e competente. Não investem em treinamentos, não digo só para os funcionários mas também para eles mesmos!
Não participam de eventuais eventos relacionados a hospitalidade; seminários, palestras, feiras, nem se quer  lêem um livro sobre o tema.
É por essas e outras que se perpetuam os verdadeiros terroristas da hospitalidade, e não serão diferentes os serviços oferecidos pelos funcionários  dessas hospedarias.
Que conceito de hospitalidade, pode oferecer um hotel onde sua proprietária pratica o desrespeito para seus clientes com pensamento mesquinho, e, que utiliza os piores produtos para sua lavanderia, ou seja, compra produtos dos camelôs, os tais caseiros, aproveita o óleo da cozinha para fazer o sabão/detergente  isso não é economia isso é miserabilidade, aliás um caso de vigilância sanitária e fechamento do estabelecimento.
Comumente eu escuto os donos de hotéis reclamarem que não tem mão-de-obra qualificada para seus hotéis, mas na grande maioria a mão-de-obra qualificada está ao lado do seu hotel, ou seja no seu concorrente.

Nenhum comentário: