FURTOS NO HOTEL

Umas das coisas que me deixa indignado é receber a noticia de que algum furto foi praticado no hotel. Se há algo que me tira do sério é saber que algum membro da minha equipe tem esse péssimo comportamento onde a minha tolerância é radicalmente zero.

Infelizmente pequenos furtos acontecem entre os próprios funcionários, como por exemplo:  sumiços de aparelhos celulares, dinheiro, etc. eventualmente por descuido dos mesmos, ou esquecimento. Fatos desagradáveis como esses  ainda acontecem, seja numa simples pousada  ou num hotel de luxo.
Mas o fato mais intrigante aconteceu  em um hotel de tradição em que um amigo meu, gerente geral me contou.

Hotel lotado, atenção dobrada! Em sua sala, adentraram a governanta, a chefe de recepção e o gerente de segurança. O assunto? Furtos em série em alguns  apartamentos de hóspedes.
Durante uma semana a chefe de recepção havia recebido várias reclamações de hóspedes se queixando que sumira de seus quartos, jóias, roupas, dinheiro, e demais pertences, sem haver arrombamentos de portas e janelas.

Logo de inicio levantaram-se todos os suspeitos; funcionários, novatos, terceirizados, e claro as camareiras que são as principais suspeitas, (errado). E começou um processo de investigação interna, reuniões diárias, demissões, novas contratações, enfim os furtos  continuavam, e para desespero da gerencia  teria que envolver uma investigação mais rígida que no caso seria chamar a policia o que nós gerentes não gostamos e procuramos evitar, por motivos muito óbvio; preservar a imagem do hotel.    

Dias e semanas se passaram e não haviam descoberto o autor dos furtos, conseqüentemente, foi marcada uma reunião com todos os funcionários do hotel, lá no fundo uma camareira levanta a mão e com sua simplicidade fez o seguinte comentário:

Sr gerente, não sei se o senhor sabe, mas toda vez  que acontece esses roubos, o senhor  André do ap 222 está hospedado no hotel, porque é só agente  que é suspeito e não poderia ser um hóspede?"

Ops! Uma luz havia surgido, todos começaram a dar credito para aquela camareira pelos comentários tão relevantes.

Pronto, agora as investigações ocorreriam de outra forma, o senhor André, hóspede habitue daquele hotel seria o principal suspeito.

O maior problema daquele hotel de tradição, é que não tinha o sistema de chaves eletrônicas, e ainda usava as fechaduras convencionais, aquelas chaves com placas enormes para o hóspede não esquecer de devolver na recepção cada vez que se ausentasse do hotel.

E foi exatamente o que ocorrera, o senhor André que a muito tempo hospedara-se no hotel nos diversos  quartos e cada um que ficava hospedado  fazia uma cópia da chave e ao longo do tempo ele tinha quase todas as chaves dos apartamentos.

O mesmo foi descoberto, porque o gerente junto com sua equipe de segurança instalou câmaras em pontos estratégicos e lá monitoraram o Sr André que já conhecia o sistema do hotel, quando ia aplicar os furtos, ligava para o quarto como ninguém atendia, supunha que o hóspede estava fora e com a copia da chave entrava e praticava o roubo.

Pergunto:  O que podemos aprender com essa historia?


Postar um comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS