quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mordomo atendendo os desejos e necessidades dos hóspedes


Espécie de assistente pessoal, esse profissional faz de tudo para satisfazer os desejos - vá lá, necessidades - do cliente cinco-estrelas

"Onde posso passear com o cachorro?", perguntou a ansiosa hóspede. Como bom Experience Manager (diga-se, mordomo) do badalado Hotel Faena, em Buenos Aires, Sebastian Zumelzu prontamente traçou as rotas caninas. Só depois veio a dúvida: "Mas qual cachorro?" Ele conhecia os gostos da cliente, mas não se lembrava de tê-la visto com um animal. "A verdade é que não tenho cão aqui", respondeu a moça. "Pode me arrumar um? Estou com saudade do meu."

Por mais impossível - ou bizarro - que pareça o pedido, pode apostar: o mordomo vai realizá-lo. Zumelzu fez dezenas de contatos e, em poucas horas, conseguiu um lindo e manso labrador para a hóspede. "Eles passearam tranqüilamente por Puerto Madero", lembra.

Mimo demais? Óbvio. Os mordomos são treinados para isso mesmo. A idéia é antecipar as necessidades do hóspede e, assim, tornar a estada a mais exclusiva possível. O conceito é bem difundido em hotéis de luxo mundo afora, mas ainda novo e raro no Brasil.

Em São Paulo, o Hyatt conta com um departamento dedicado à mordomia. "Aprendi o conceito na Inglaterra e trouxe para o Brasil", conta o responsável pela área, Cássio Faria. "O butler gerencia toda a agenda do hóspede", explica.

Muito antes de o cliente se hospedar, o tal butler - ele mesmo, o mordomo - deve saber de suas preferências: o que gosta de comer, como prefere o banho, com quantos edredons dorme... "O hóspede não tem contato com outros integrantes do staff do hotel. O mordomo faz essa ligação por ele", explica Faria.

É um trabalho difícil. Afinal, esses profissionais lidam com pessoas, no mínimo, exigentes. "Um de nossos clientes janta pontualmente às 20h06 ", conta Faria. "Esperamos na porta para apertar a campainha no momento exato."
Zumelzu, do Faena, tem mais lembranças curiosas. Já teve de ligar para meia Buenos Aires para conseguir permissão de pouso e decolagem para um hóspede que queria passear de helicóptero na cidade. "Missão cumprida", comemora.

Há até situações em que os hóspedes parecem exagerar nos caprichos de propósito. "Já servimos dois amigos que, fascinados pelo conceito, decidiram apostar quem tinha o melhor mordomo", lembra Zumelzu. 
Os hóspedes, claro, deixaram os funcionários malucos. "Foi divertido", conta o mordomo.
Em Milão, o Town House Galleria tem profissional específico para cada um dos 24 hóspedes, a capacidade máxima do estabelecimento. Entre as funções deles estão agendar compromissos, acompanhar o cliente durante as compras - e até mesmo no jantar, se ele quiser.

MIMOS

De que adianta um mordomo a seus pés se, ao entrar no quarto, os produtos disponíveis são, digamos, quaisquer produtos? Hotel de luxo tem de fazer o serviço completo. Realiza todos os desejos do hóspede e, ainda, deixa à disposição xampus, hidratantes, máscaras faciais, enfim, uma infinidade de amenities estrelados.
O hotel The Berkeley, em Londres, chegou ao ponto de criar um produto especial, a Beauty Box. Não se trata de cortesia: ao contrário, custa salgadas 1.500 libras . Mas ao menos para aficionados por cosméticos, a tal caixa vale cada centavo.

Editores de beleza e dermatologistas escolheram as 20 amenities mais desejadas do mundo para compor a cesta. Corretivo Yves Saint Laurent, batom Chanel, anti-rugas Lancôme e esmalte Dior não podem faltar. O kit é entregue em uma maleta de couro e os produtos, trocados a cada estação do ano.
Para citar mais um exemplo de fazer inveja, o Ritz Paris deixa, à espera do hóspede, a linha de banho da marca La Prairie. Os produtos são repostos todos os dias pelos mordomos. Também é deles a missão de descobrir se o turista ficará mais feliz com flores, chocolates ou champanhe ao entrar no quarto. "Podemos também oferecer um bolo de aniversário ou petits-fours para um habitué", diz o gerente de comunicação do Ritz, Matthieu Goffard.

O hóspede do Ritz também escolhe os tratamentos do spa no próprio quarto. É só agendar. Com o mordomo, é claro.
                                                                                                                                        fonte:estadão.com.br

Um comentário:

Anônimo disse...

Bom dia Leonardo!
Saberia me indicar um local para contratação de mordomo bilingue de alto padrão para atender convidados Muçulmanos que vem para a Copa?
Estou em São Paulo. Obrigada!
edia@zumbrazil.com.br