segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

OS PSEUDOS HOTELEIROS E O MARKETING NEGATIVO




Recentemente, recebi uma “ mala direta”, via email de um novo hotel que acabara de ser inaugurado, por uma questão de ética não informarei qual hotel.

Muito bem, imediatamente ao ler já fui logo percebendo que se tratava de amadorismo pois os erros de grafia naquela mensagem são  perceptíveis.

Ao entrar no site que aqui vou chamar de “hotel família”, fui percebendo o quanto  de erros de português, fotos amadoras tiradas de uma maquina fotográfica comum e postada  no site, logo se percebe que coisa boa não vêem pela frente, em se tratando de hotelaria.
Citarei os  absurdos  que apenas visitando o site  do hotel família:

  • Fotos tiradas por alguém , onde se percebe as mãos, os pés de quem está tirando as fotos,ou  seja parece mais fotografias de finais de semana no churrasco do vizinho;
  • Nos apartamentos, fotos tiradas mostrando detalhes de final de obra, buracos de fios descobertos, paredes sem tomadas;
  • Fotos com decoração das camas que parecem mais um pensionato;
  • O mise en place das mesas do restaurante de forma  horrível e para completar uma caixa de palitos  “ Gina”  afinal qual o objetivo dessa  caixinha  na mesa?
  •  Os quartos com enxovais de péssima qualidade e muito mal gosto;
Muito bem, admito que esses detalhes observados  em um site pode até ser aceito quando se fala de um hotel de beira de estrada. Mas em se tratando de um “hotel de luxo”, assim é como está sendo apresentado no trade hoteleiro  é para morrer de rir! Este hotel com 145  unidades  habitacionais, com um investimento altíssimo é um convite certo para mediocridade.

Logo se percebe  que não há administração hoteleira, e fui investigar pessoalmente. Ao chegar na frente do hotel, devo admitir que a fachada parece um hotel de alto padrão, ao entrar na recepção parece que você está realmente em um hotel de luxo, mas logo a decepção é evidente, você pergunta: cadê os serviços? Ah!  ai que começam as dores de cabeça  para quem se atreva a hospedar-se no hotel família.
Exatamente numa quarta-feira, 8h15m da manhã entrei na recepção para pedir informações  sobre preços, etc.
Fui atendido por um jovem rapaz, que aparentava estar de ressaca, com a barba por fazer e não sabia absolutamente nada do hotel, alias ele nem sabia que estava trabalhando num hotel! Não soube me dizer quem era o gerente do hotel, não soube informar  quais eram os serviços oferecidos, enfim, estava ali  por um misero salário mínimo.

Neste  instante, chegava  outras pessoas e me dirigi ao restaurante para ver o buffet de café da manhã.

Ao entrar não tinha ninguém,  qualquer pessoa poderia entrar e comer  a vontade, um total descontrole.

E fui  observar o buffet do café da manhã! fiquei sem  apetite,  mais parecia um final de festa, mesas sujas, com resto de comida, queijos com péssima aparência, frutas sem lavar, copos  sujos, talheres  pelo chão, guardanapos de papel  pareciam mais purpurina pelo salão.

Dei uma meia volta e fui visitar alguns corredores e me deparo com as camareiras mal vestidas, de chinelos nos pés, uma cena de horror!

Cabe aqui dizer  que é triste saber que um empreendimento daquela natureza não está sendo administrado por um hoteleiro, muito pelo contrario, está sendo administrado por um bando de incompetentes e exploradores de quinta...

Ainda tiveram o disparate de convidar a imprensa local para divulgar o hotel e dizer que é o melhor hotel da cidade, executivo de luxo, chique, e blah, blah, blah.

Tenho pensado com meus botões, que é muito fácil construir um hotel  é só ter meia dúzia de terras, pedir para um arquiteto desenhar o hotel, fazer o projeto e pedir financiamento no banco e pronto, e é esse o cenário que estamos vivendo na hotelaria independente.

O hotel família, completou dois meses depois de sua abertura, não  atingiu 30% de sua ocupação, que deveria está com uma ocupação de 65% devido o mercado ser de grande demanda, tem um péssimo serviço, aliás não tem serviço. Podemos concluir que o hotel não teve um estudo de viabilidade, suas tarifas  foram subjetivamente criadas  pela do concorrente.


O que se passa na cabeça desses pseudos hoteleiros, é que ELES acreditam que basta ter um hotel com excelente infra estrutura e pronto, até porque ELES não sabem o que é hospitalidade, são pessoas sem conhecimento, sem cultura, nunca viajaram, nunca se hospedaram em um hotel de luxo, estão acostumados a lidar com bois e vacas, tem dinheiro,porém não teem finese. Tratam seus funcionarios como escravos, os verdadeiros senhores da fazenda e exibem seus carrões como trofeus.

E assim a hotelaria nacional ganha  mais um hotel, e que se dane a Arte de Bem Receber!