Hotel Carlton St Moritz



Hotel é reformulado e ganha ares modernos, mas a vista para os Alpes ainda é um privilégio de quem ocupa uma das 60 suítes.

Há cerca de seis meses o Hotel Carlton St. Moritz, uma construção de 1913 situada na parte alemã da Suíça, passou por uma reestruturação que durou 18 meses e se tornou o primeiro hotel-butique de luxo da cidade, nome dado a hotéis pequenos e serviço personalizado. A reforma foi comandada pelo arquiteto Carlo Rampazzi, que tornou o interior do hotel moderno e aconchegante. “Investimos 65 milhões de francos suíços. Antes da reforma, tínhamos 103 quartos, hoje são 60. Queríamos um hotel com mais privacidade e espaço do que os outros e também com um design mais moderno”, explica o gerente-geral do hotel, Christopher Cox.

As mudanças fizeram sucesso e, segundo Christopher, a ocupação durante a estação de inverno dobrou em relação ao ano anterior à reforma. “Antes de reabrir o Carlton estávamos nervosos com relação ao retorno por parte dos clientes que vêm a St Moritz há anos. Mas já nas primeiras semanas nossos temores acabaram. Todos reagiram positivamente ao novo interior do hotel porque Carlo Rampazzi combinou elementos já existentes com novidades e misturou o estilo clássico com um design moderno”, completa.


Para colaborar com a imagem de refinamento, o Carlton St-Moritz é afiliado a duas instituições prestigiosas: o Swiss Deluxe Hotels e o The Leading Small Hotels of the World, que reúne hotéis de luxo de pequeno porte, com serviço mais personalizado. Ele faz parte do Tschuggen Hotel Group, detentor também de três hotéis suíços: o Eden Roc, em Ascona, o Tschuggen Grand Hotel e o Sport Hotel Valsana, ambos em Arosa. No Carlton de Saint Moritz, a alta estação é o inverno, mas no verão o movimento não pára. “Para atrair hóspedes na baixa temporada criamos várias novidades, que podem ser conferidas em nosso site, como os pacotes que envolvem golfe e tratamentos em nosso SPA”, diz Christopher. E olha que as diárias variam de 900 a 7.500 francos suíços, que têm cotação semelhante ao dólar.


A gastronomia suíça pode ser apreciada no Carlton Bar, no elegante restaurante Romanoff ou no Tschinè. Para relaxar corpo e mente, o SPA é uma atração a parte: 1.200 m² divididos em três andares que oferecem seis quartos para tratamentos, piscinas cobertas e ao ar livre, salão de beleza e saunas. No frio, ainda é possível alugar esquis e usufruir das aulas da escola de esqui Carlton.



Nas suítes, além das cores fortes, lustres de cristal, cadeiras estilo Louis XVI e cortinas de brocado dão o tom histórico e todos os quartos têm vista para os Alpes e o lago Saint Moritz. “Quem procura lembranças do ‘velho’ Carlton as encontra nos móveis antigos que já estavam aqui antes e foram restaurados. Os hóspedes que amam detalhes modernos também os encontram em cada canto do hotel”, diz Christopher Cox. A pedidos, o transfer para o aeroporto pode ser feito com uma limusine e pode-se contratar um personal shopper ou ainda mordomo 24 horas. Mas todo esse luxo parece nada se comparado ao ambiente em que o hotel está cravado: uma das mais glamourosas estações de esqui do mundo, que fica a seus pés e a uma altitude de 1.856 metros acima do nível do mar.




                                     

fonte: gestão de luxo
Postar um comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS