segunda-feira, 29 de outubro de 2012

HOTEL OU DORMITÓRIO?




Com o advento da copa do mundo, a mídia a todo instante enaltecendo esse mercado  que cresce continuamente, os investidores não perdem tempo e oportunidade de ganhar dinheiro.
Vamos falar das cidades do interior, aquelas que tem potencial e perspectiva de crescimento.

O  "empresário" que tem seu comércio, seja uma padaria, uma fazenda, um loja de material de construção, começa a perceber que hotel  “ dá dinheiro”, de maneira subjetiva  questiona que na sua cidade os hotéis estão sempre lotados, pois o hotel de fulano sempre  está cheio e supostamente está ganhando rios de dinheiro.

Esse empresário que não é do ramo, aliás  nunca se hospedou em um hotel chama um arquiteto e pede  pra desenhar um projeto de hotel, pois já que tem um terreno  ocioso  lá  na rua x,  por que não construir  alí um hotel? Em seguida  vem a sra esposa e diz: 

“ Ah!  Eu quero meu hotel com os enxovais  tudo  azul!” e segue: “ Ah  mais pede para o  arquiteto  fazer uma varandinha, e as cortinas tem que ser cor azul celeste pra combinar com o enxoval da cama”.

E dessa forma vai sendo construído o dormitório que depois o batizam de hotel.
Chega o final de semana e esse empresário reúne a família, o papagaio, o cachorro, os filhos e mais alguns amigos  pra um churrasco  na  sua fazenda e lá começa a discussão  pra decidir qual o nome do hotel. As sugestões  são das mais absurdas possíveis:
- Ah! coloca  hotel Santo Antônio, pois hoje é dia dele.
- Ah! Eu acho  bonito  esse: Hotel Nova Jesuralem, aliás tudo que tem nome de Deus é bom e vai dá sorte.
- Ah! Não,  eu acho bom esse Hotel Jesus Cristo, pois  será um hotel abençoado.
- Ah! E que tal esse, Hotel The Eduard’s, afinal  é o nome do dono. 
E depois de vários “pitacos e sugestões “, deram   nome ao dormitório.

O arquiteto desenha o prédio  com detalhes de modernidade até parece um prédio do ano 2080, só o prédio porque  a rua  ainda não tem nem saneamento básico, e tudo fica perfeito, no papel.

E depois de alguns  meses, lá está  o prédio que mais parece  uma nave espacial de jornada das estrelas,  um objeto estranho no paisagismo urbanístico no meio dos barracos, a lá favela.

Pronto!  Cheio de orgulho de ter construído o prédio mais moderno da cidade, agora  é só comprar os moveis;
- Ah!  Vou falar  com o  “ seu Zezinho”, o marceneiro da cidade  que é muito meu amigo e ele vai fazer um precinho bom pra mim.
- E seu Zezinho é convidado pra desenhar  os moveis do hotel, a começar  pelas camas que devem ser de madeira de lei, pois  precisa  ter o lastro  bem forte pra agüentar  os fregueses”. 
Acontece  que este  empresário não conhece  uma cama boxe, ainda vive na idade média  e é bem possível que na sua casa  ainda dorme  em uma cama com colchão de  espuma e lastro de madeira. Não sabe  ele  que existe  hoje  empresas  especializadas  em fornecer todo mobiliário  para hotelaria.
- Ah,mais alguém chega  pra esse empresário e fala! O senhor deveria  colocar  camas boxes! E ele responde; “ imagina  é muito caro!  O seu Zezinho ta  fazendo  um preço bem bão”.

E assim, aos poucos  o dormitório vai ganhando vida, e  precisa  definir  as tarifas;
- “Bem, como meu hotel  tem uma TV de 40 polegadas nos quartos, é mais novo  que os outros, no hotel de fulano ele cobra tanto, então vou cobrar tanto” e  assim define-se o preço da diária do "hotel".
- A esposa do dono – “Ah!  Eu quero que os quartos sejam  todos com tons de amarelo pra combinar com as  cortinas”, e assim seja feito a vossa vontade!
- O Dono – “Amoooo, quem tu achas  que vai dar certo pra ser gerente do nosso hotel?
- “Eu tava pensando no filho da dona Maria, eu soube que ele está procurando emprego, ele trabalhou com dr. Cicrano por mais de dez anos na loja de material de construção, eu acho ele um rapaz bom, honesto e vai casar  logo, acredito que vai dá certo.” E  assim foi nomeado o Gerente Geral.

Logo, muito em breve abrirão as portas do dormitório e precisa formar a equipe operacional. E começam a chegar os amigos, família e parentes pedindo  uma  oportunidade de emprego.
- Ah!  Coloca  a filha do “seu” João porque  é um baita  mulherão, muito bonita pra atender os  hóspedes  na recepção”.
- Ah! Arruma uma  vaguinha pro sobrinho do seu Zezinho, ele está  desempregado, é muito trabalhador”
- Bom, pra subgerente coloca  o genro, porque ele vai ficar de olho...”

E assim  está pronto o novo “empreendimento Hoteleiro”, ah,  mas  faltou   fazer  o site  do hotel!
- Amoooo,  chama  o Juninho – sobrinho-  ele  gosta muito de computador e entende de internet,  tira umas fotos do hotel e da  pra ele  fazer  o site.” E  assim, é feito o site  do hotel.

E finalmente,  abre-se as portas do mais novo “ hotel” da cidade. Meses  depois, os problemas aparecem como pragas. O empresário se queixa, não sabe por que seu hotel mesmo sendo novo não está lotado. Por final, encontra  a solução; baixar as tarifas, e claro, a clientela  vem correndo; caminhoneiros, camelôs, feirantes, potenciais clientes pra esse tipo de pensionato.

2 comentários:

Marcos Carvalho disse...

Excelente artigo, de forma bem humorada relata a realidade, principalmente nesta cidade de Parauapebas- PARÀ.

Leonardo Cestari disse...

Muito comum também é o hotel ser arrendado com poucos meses de funcionamento. E como a caca já está feita,o hotel muda de arrendatário todo ano, pois, o dono quer ganhar o valor (aluguel) que ele não ganhou funcionando.