quarta-feira, 4 de julho de 2012

Mandarin Oriental Bangkok – hotel com menor rotatividade de funcionários do mundo!


Enquanto a hotelaria no Brasil  trata seus funcionários como números, continuaremos a oferecer um serviço medíocre aos hóspedes. Tenho falado  sempre para  hoteleiros da importância do tratamento diferenciado que devemos oferecer aos funcionários e repito: hotelaria é feito por pessoas e não por TVs LCD, suítes luxuosas, etc.  A excelência é um mérito exclusivo das pessoas que ali trabalham!

Leiam nessa postagem, a surpreendente filosofia de Recursos Humanos desde hotel pelo expertise Jayme Drummond



Como falar do Oriental de Bangkok? Como descrever um dos hotéis mais emblemáticos e premiados do mundo? Me dá arrepio só de pensar. Fôlego Jayme! Um, dois, três e…já!

Essa foi minha terceira e provavelmente mais marcante visita à sua majestade, debruçada nas duas margens do rio Chao Phraya. Sim, duas. Uma ocupada pelos dois prédios de apartamentos e suítes, piscinas e seus numerosos restaurantes. A outra, ligada por um charmoso barco tailandês, onde ficam o sublime spa, uma escola de gastronomia para hóspedes e um chiquérrimo fine dining thai restaurant.
Fama e poder não são à toa. Em visita aos bastidores do Mandarin Oriental Bangkok, passei a entender como atingem tal nível de serviço. Um verdadeiro hotel dentro de um hotel. Isso mesmo. O segundo andar do prédio principal, foi inteiramente reformado para dar total conforto a quem serve, ou seja, ilustres funcionários.



A área denominada O-Zone, contempla: um refeitório, quer dizer, um restaurante de cair o queixo, uma área de lazer e relaxamento para aliviar o stress e muito mais. Os impecáveis uniformes não são distribuídos na rouparia, e sim, no Fashion Zone como é chamado. O nome faz jus ao espaço. Nos vestiários, gel de banho e shampoo Dior para as moças, enquanto os marmanjos se perfumam com a linha Davidoff. Que tal?
Na entrada do andar, uma parede alusiva a calçada da fama de Holywood, ostenta placas de gesso com as marcas das mãos dos colaboradores mais antigos. E esse é o hotel com menor turnover do mundo. Também pudera. Até eu gostaria de me aposentar ali.


A mesma pâtisserie que produz guloseimas para os hóspedes, vende tortas a preço de custo para os funcionários, que tem ainda opção de personalizar um bolo de aniversário para seus familiares. Um concierge exclusivo para a equipe está instalado no mesmo andar, pronto para atender qualquer pedido: desde localizar uma passagem aérea mais barata até mesmo, providenciar um reparo na casa de quem tem pouco tempo para cuidar. Quero me hospedar…ops… quero trabalhar lá também. Isso explica um pouco do hotel eleito melhor da Asia em 2011 pela Travel & Leisure.
by: Jayme Drummond do hypersaber