HOTEL OU DORMITORIO?



Hotelaria é um bom negócio, sem duvida e quando esse negócio é administrado dentro das diretrizes de uma administração hoteleira, podemos dizer que hotel é uma “mina de ouro”. Dificilmente um hotel não dar lucro, se não estar dando rentabilidade, algo está errado.
Esta semana fui procurado por um senhor que acabara de comprar um  hotel  em determinada região, e sua historia  é   a seguinte:

Sendo o mesmo fazendeiro e dono de muitas terras,imóveis  em toda cidade resolveu investir no negócio hotel, fui procurado para dar uma assessoria e ao fazer a visita local, observei vários problemas de infra estrutura e de imediato percebia-se a necessidade de um retrofit*

“Retrofit é um termo utilizado principalmente em engenharia para designar o processo de modernização de algum equipamento já considerado ultrapassado ou fora de norma. Revitalizar e atualizar as construções para aumentar a vida útil do imóvel, através da incorporação de modernas tecnologias e materiais de qualidade avançada, é fundamental para reconquistar a valorização da unidade.
O Retrofit consiste na adaptação tecnológica das instalações elétricas, hidráulicas, fachada e dos principais equipamentos instalados nas áreas comuns dos edifícios, como elevadores, sistemas de iluminação e mobiliários, dentre outros”.

Logo percebi que o distinto senhor não entendia absolutamente  nada de hotel e suas operações. Ele me levou para ver um terreno ao lado do imóvel onde pretendia ampliar o hotel com mais unidades  habitacionais.

Perguntei ao mesmo a razão de querer ampliar o estabelecimento, haja vista que o hotel  tinha poucas unidades, e essa seria o principal motivo.
Há poucas quadras desse hotel,  também há um hotel  com as mesmas  características, hotel com poucas unidades e o proprietário  vem fazendo  obras de ampliação, mas lamentavelmente podemos chamar  esse  “ retrofit” de  “ puxadinho”.

O proprietário, vendo que seu empreendimento está lotado, por uma razão muito simples, demanda maior que a oferta de hotéis na região, não pensa duas vezes  em “ vamos construir mais apartamentos” levado pela ganância em querer  encher seu dormitório, - bom, aqui eu já posso chamar esses empreendimentos de dormitório.-

Eu sempre bato nesta tecla, por que em vez de ficar fazendo puxadinho, não melhora  o que já se tem? A exemplo, ao visitar este dormitório, observo  que as camas são de lastro de madeira com colchão imundos de espuma, enxovais de cama e banho de péssima qualidade, café da manhã vergonhoso, funcionários  com uniformes  velhos, TV’s antigas  e por a vai.

Se um estabelecimento desse oferece esse tipo de tratamento aos seus hóspedes  por uma diária de cinqüenta reais, se poderia fazer as melhorias e cobrar uma diária  condizente com seu padrão, é obvio que geraria uma receita muito superior. Mas a mentalidade do gestor é quantitativa e não qualitativa.

Outro exemplo que posso dar, certo dia fiz uma consultoria para um hotel  com essa mesma problemática, o proprietário  queria  fazer  o puxadinho e assim aumentar o número de apartamento, esse hotel com  trinta apartamentos  cobrava uma diária de R$ 80,00, ele queria  construir  mais vinte unidades  e manter a mesma tarifa, o convenci a fazer uma gestão de retrofit e hoje esse hotel  cobra uma tarifa de R$ 220,00, como podemos perceber, houve um número expressivo na receita.
1 comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS