O “PODER” DO GERENTE GERAL



“Fale com o gerente! Procure o gerente! Só o gerente resolve! Cadê o gerente? São ordens do gerente! “

Frases como essas fazem parte do cotidiano de qualquer empresa, e para tanto, um hotel não sobrevive sem essa figura, o Gerente Geral.

A complexidade de gerenciar um hotel, não permite amadores! Tenho visto em muitos hotéis figuras ocupando cargos de gerencia, sem o mínimo de preparo e competência profissional.

Muitos donos de hotéis – não hoteleiros – insistem em colocar seus familiares e  parentes para assumirem  posições dentro de seus hotéis sem sequer saber se tem competência para tal.

A razão muitas vezes desses proprietários colocar figurinhas da família, é por pura confiança, ou seja, só porque é da família, supõe-se que não terá problemas de desonestidade, lamentavelmente ainda no Brasil existe essa mentalidade "escravocrata", herança do coronelismo.  Mas segundo estudos de auditores, os familiares e parentes são os que mais praticam atos desonestos dentro das empresas. Um recente case: um certo empresário proprietário de uma rede de magazines, contratou uma empresa de auditoria, de imediato os auditores descobriram que tanto os filhos como a sua esposa efetuava retiradas de dinheiro consideráveis! 

Alguns donos de hotéis me pedem indicação de gerentes para seus empreendimentos, logo percebo que esses proprietários apenas querem “testas de ferro”. Um gerente geral profissional não se submete a caprichos de donos, o gerente geral, hierarquicamente  é a figura mais importante do hotel, ele tem toda autonomia de comando e de tomada de decisões.

Quando um novo gerente assume a gerencia do hotel, de imediato precisa conhecer cada membro de sua equipe, principalmente se tem “ batatas podres” na equipe, independentemente se é parente, família, ou filho de amigos, não importa, um hotel só terá sucesso se o gerente estiver cercado de pessoas competentes.

Certa vez, quando assumi a gerencia de um empreendimento, logo percebi que tinha um grande desafio, afastar a esposa do proprietário, missão muito difícil, não?  Sim, mas não pensei duas vezes em colocar em pratos limpos a minha posição naquele hotel e mostrei para qual propósito a figura de um GG se fazia necessário. Nada mais objetivo do que mostrar fatos, e disse ao proprietário e sua esposa: “ Neste hotel não há vaga para esposa, se quiserem resultados deixe que eu mesmo formo minha equipe”.

1 comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS