sábado, 24 de agosto de 2013

RECEPÇÃO DE HOTEL NÃO É SALA “VIP” DE RODOVIÁRIA!



Nós hoteleiros  temos pontos de vista  diferente da maioria dos  donos de hotéis, quando  escrevia este texto, pensei logo no  tópico, “ Recepção de Hotel não é sala  VIP de rodoviária!”. Muito embora, algumas  salas Vips de rodoviárias e  aeroportos sejam mais confortáveis que muitos  hotéis.
Em uma das minhas consultorias, quando estava assessorando uma gestão de um hotel, o proprietário me questionou por qual motivo eu desconsiderei  um detalhe  do arquiteto quanto a decoração da recepção, onde lá deveria ter uma TV-LCD  de 60 polegadas.

Sendo um hotel de nível executivo, logo me posicionei contra ter uma televisão na recepção  do hotel, por motivos óbvios  que eu vou explicar :
Inicialmente vem logo a pergunta, pra que televisão na recepção? Só tem uma explicação:  para os mensageiros e recepcionistas  assistirem suas novelas.

Não há nada mais desagradável que TV  em recepção de hotel, como também  em restaurantes.
Ah, mas  os hóspedes gostam de assistir TV! Assim diz  os funcionários da recepção. Certo, mas afirmo com total  conhecimento de causa, que não é verdadeiro essa afirmação quando estivermos falando de um hotel voltado para um público executivo.

Recentemente, me hospedei num hotel de nível executivo e lá estava a bem dita  televisão  na recepção, ao efetuar meu check-in  o recepcionista  dava mais atenção ao jornal  nacional  que a minha presença, o som da TV  sem dúvida, interferia no atendimento ao telefone, percebi  que um grupo de pessoas se aglomerava em frente da TV, perguntei  ao recepcionista se os hóspedes gostavam de assistir  TV na recepção, para minha surpresa  ele diz: Não, estes  são  taxistas do ponto de taxi do hotel. Eu quase tive um troço, e fui vendo outros absurdos, no canto da recepção, uma mesinha  com três garrafas de café e copinhos  descartáveis, tudo parecia uma sala de espera de rodoviária, ou de um consultório de dentista, menos uma recepção de hotel. Não por menos, continuei  fazendo perguntas ao recepcionista:  E o cafezinho os hóspedes  gostam?  Ele responde: Não, mas os taxistas gostam, e bebem todo o café e fazem a maior sujeira o dia todo. Naquele momento fiquei em dúvida se eu deveria realmente me hospedar  naquele “pensionato”. Mas para não admitir que estivesse sendo radical, continuei. Ao lado das garrafas de café, uma daqueles expositores de refrigerantes, complementava a decoração do lobby e não me dei por satisfeito, perguntei: E os hóspedes “consomem”, muito refrigerantes? O recepcionista responde: Não, geralmente quem compra  são os funcionários e as vezes os taxistas.
Podemos perceber, a  visão equivocada de administração hoteleira  e a falta de bom senso era  evidente.

Então é errado colocar na recepção, TV, garrafas de cafezinho, expositores de refrigerantes?

Eu não diria  que é errado, pois cada um gerencia seus empreendimentos como quiser, mas estamos falando de um hotel com alto índice de executivos e do conceito ao qual se propõe.
Episódios iguais a estes se multiplicam em muitos  hotéis quando  seus donos, sem visão comercial aceitam  “pitacos” de todos os lados.
Lembrando que um hotel deve essencialmente atender as necessidades dos seus hóspedes.

Neste hotel especificamente, podemos concluir que:

  • A TV é desnecessário tendo em vista  que a recepção é para hóspedes e não taxistas, além de incomodar, é deselegante, e não funcional.

  •  O  cafezinho  poderia ser servido com um pequeno mise en place com xícaras de porcelana e exclusivo para os hóspedes, e tendo o cuidado de manter café fresco e com boa qualidade.
  •  O expositor de refrigerantes, além de ser de muito mal gosto, não gera receita tendo em vista que existe frigobar nos apartamentos e pdv no restaurante, e deveria incentivar o consumo nestes setores. Se um hóspede que esteja na recepção pedir uma bebida, o garçom do room service/restaurante, elegantemente poderia servir.