Hotéis High Tecs, e as novas tendências do mercado da hospitalidade.


Tenho  declarado em todas  as minhas postagens a minha paixão pela  hotelaria, e a cada ano que passa  vejo as  novas tendências, os novos lançamentos, os novos  hotéis  estilosos, arquiteturas imponentes, e, em toda a minha trajetória de trinta  anos  neste ramo, me permito tecer  algumas opiniões a respeito do que penso desses  novos empreendimentos.
Venho de uma geração de hoteleiros que não descarta o glamour da hotelaria, fato esse  que vem perdendo espaço  no novo mercado da hospitalidade.
Sem duvida a modernidade é sempre bem vinda  em todos os segmentos e, claro,  não poderia deixar de existir  na hotelaria.
Existe um livro ( romance) do escritor  Arthur Hailey, titulado de “ Hotel” , é um livro fantástico que narra precisamente os bastidores de um grande hotel, hoje esse livro  só é encontrado  nos  sebos ( livraria de livros  usados), e tenho meu exemplar  que guardo como uma relíquia e sempre  estou a folhear suas paginas, quando preciso “ visualizar” a hotelaria dos anos cinqüenta.
Comparar a hotelaria atual com a de trinta anos  atrás onde não existia computador, internet, e tudo era absolutamente feito manualmente -  meus colegas  da  antiga  sabe muito bem do que estou falando - Sem duvida, essa nova geração de profissionais não tem idéia de como era trabalhar na recepção de um hotel. Hoje tudo  é moderno, sistemas operacionais fantásticos, que agilizam as operações num piscar de olhos.
Recentemente li uma matéria numa revista, sobre os novos lançamentos de hotéis e me chamou a atenção  para os  “novos conceitos” da hotelaria.
A referida matéria mostrava os novos  hotéis com uma tecnologia que eu acredito ser  um tanto exagerada para a realidade de muitas  cidades brasileiras.
Hotel para geração Y?
A hotelaria  é a arte de receber bem, e muitos  empreendedores  laçam empreendimentos em diversas localidades tais como, capitais e grandes centros urbanos,  acreditando  que  o mesmo produto terá a mesma aceitação numa  cidade interiorana! Criar  conceitos para um nicho de mercado em que chamam de geração Y.
Geração Y, é a geração das pessoas que nasceram após os anos 80, são as pessoas conhecidas também por serem chamadas de geração do milênio ou geração da Internet, que surgiu exatamente por essa época.
A geração Y é conhecida por ser uma geração que vivenciou muitos avanços tecnológicos, crescimento de diversos países, que acabaram tornando-se potências mundiais.
As crianças da geração Y cresceram tendo o que muitos de seus pais não tiveram, como TV a cabo, videogames, computadores, vários tipos de jogos, e muito mais.  Por terem esse contato todo com a tecnologia, acabaram ficando conhecidos por serem pessoas folgadas, distraídas, insubordinadas e superficiais, em sua grande parte.
A Geração Y também é conhecida por ter grande ambição, e é normal encontrar jovens dessa geração que trocam de emprego freqüentemente, porque no emprego anterior não eram desafiados e não tinham oportunidade de crescer profissionalmente.
As empresas, sempre interessadas com o tipo de público que querem atingir, fazem diversas pesquisas de mercado para saberem qual o produto que a geração Y está interessada, como eles querem ser atendidos, o que eles estão procurando,  pois é um público geralmente muito exigente, sempre antenados em novas tecnologias e novos produtos.
Contextualizar sobre esse novo conceito da hotelaria, nos leva a um entendimento em que o hotel foi estrategicamente criado para atender a esse publico especifico? E, caso um cliente de sessenta anos que não tem a afinidade com as  tecnologias, se sentirá a vontade num hotel com essa proposta?
Muitos empreendedores são assessorados por empresas de consultorias especializadas em implantação e gestão de hotéis, e estas levantam estudos de viabilidade  através  dos seus consultores, estes visitam as  regiões e fazem suas  pesquisas baseadas em fatos  coletados empiricamente, visitam os hotéis da região, entrevistam os gerentes, proprietários e funcionários dos hotéis e desta forma,  levantam  dados  para os escritórios e lá os  expertises elaboram planilhas, relatórios e muitas  informações coletadas  pelos consultores de campo. Estes consultores em sua maioria sao  mulheres jovens formadas em turismo e hotelaria.
Dado a essa realidade, ignoram o fator cultural de cada região, não levam em conta a oferta da  mão de obra, a logística e a sazonalidade local.
Sou hoteleiro clássico, acredito muito na excelência das pessoas e não da tecnologia, sem duvida a tecnologia é muito bem vinda, mas sem o toque humano, configura um atendimento mecanizado, empacotado. Nada mais perfeito para um hóspede ao se hospedar pela primeira vez num hotel, venha a questionar sobre detalhes da sua estadia e não vai abrir mão de no ato do check-in ser atendido por um funcionário no balcão da recepção. A excelência hoteleira  é feita por pessoas e não por tecnologias!

Postar um comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS