Baixar tarifas é desvalorizar o produto!




O desespero do hoteleiro em manter suas tarifas competitivas é tanto que faz com que caia na tentação de colocar um outdoor ou mesmo o uma faixa em frente ao seu estabelecimento com dizeres  apelativos e muitas  vezes sem o mínimo de criatividade, desing e estética.

Pagar  mais caro? Por que? É a pergunta  que  os hóspedes se  fazem,  todo o tempo? Será mesmo?

Existe um mercado que paga pelo valor agregado sim, não só paga por uma dormida, mas por todo o serviço que lhe for oferecido. Não se deve fazer concorrência com base na tarifa! O que ocorre em muitas regiões é a mudança do perfil da clientela, fato que poderá comprometer a demanda e a taxa de ocupação de alguns hotéis, mas baixar a sua tarifa em razão dessa problemática, não é e nunca foi a solução, parece ser a primeira vista, mas a longo prazo, é um desastre.

Em se tratando de serviços hoteleiros, persuadir o seu mercado a pagar mais é absolutamente lógico. Na mesma perspectiva, dar desconto é tão perigoso quanto. O desconto destrói a credibilidade! O cliente hoje é diferente de duas décadas atrás, quando essa pratica inicialmente aplicada pelas técnicas de marketing, hoje estão obsoletas.

Quando se define a precificação do seu tarifário é como criar uma ficha técnica dos pratos, como é chamado na   gastronomia. A política tarifária é definida com muitos critérios, muitos deles sob estudo de viabilidade, entender o mercado macro e micro do hotel é tarefa da equipe de marketing, quando não se tem esse setor no hotel, ele pode ser terceirizado ou mesmo pode ser atribuído ao gerente do hotel, mapear a demanda é estudar as possibilidades e um gerente hoteleiro entende bem disso.

Tem se visto uma enormidade de pequenos hotéis com faixas que mais parecem bancas de rua, acreditando que essa  estratégia ainda funciona nos  dias  atuais. A regra é uma só, seu produto tem um preço real, digno, justo e competitivo, ele vale o quanto se mede, pesa e o que carrega , o valor  agregado! Seu produto (UH=unidade habitacional), no mínimo deve ser vendido a preço justo para o público certo!  A bem da verdade,  entender  o comportamento e as necessidades das  classes A,B,C e D  é fundamental para mapear seu Marketing-share!

Um uniforme do garçom bem feito, limpo, bem passado e moderno  acompanhado de uma  hospitalidade humana, um sorriso, mais um atendimento ágil e cortês, sem dúvida é um enorme valor agregado. O cliente paga para ter uma experiência também, basta entender a pirâmide de Maslow, onde as necessidades humanas estão divididas em hierarquias, a última necessidade da pirâmide é justamente essa, os valores agregados.

Por fim, baixar as tarifas do seu hotel é antes de tudo uma ação de desvalorização do produto. Mas reconhecer e premiar seu hóspede, por comprar seus serviços, é um passo além da excelência no atendimento. Os hóspedes não se interessam, propriamente, pelo produto e serviços; querem o que os produtos e serviços vão fazer para eles. Para persuadir seu público a pagarem por uma hospedagem, é preciso compreender a que eles dão valor, descubra quanto, realmente, o cliente pode pagar!
Postar um comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS