quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Retrofit, o que é isso?

Senhores  hoteleiros
  • Como  estão os  colchões  do seu hotel?
  • Os  televisores do seu hotel  ainda são tubos?
  • Como estão  os enxovais, toalhas, lençóis?
Lembrem-se, todos esses itens  tem uma vida  útil na  hotelaria!

Todo empreendimento hoteleiro ao longo dos anos  passa por um desgaste natural  em sua  infra- estrutura, sejam estes arquitetônicos  externo e internamente, bem como a técnologia e desing. Os proprietários de hotéis precisam acompanhar  o  progresso e desenvolvimento da hotelaria a cada cinco anos de operacionalidade.

De algum tempo para cá o termo retrofit tem sido pronunciado com freqüência crescente no quotidiano dos proprietários de hotéis.

Com a tradução liberal de “colocar o antigo em boa forma”, o termo retrofit tem sido amplamente empregado com o sentido de renovação, de atualização mas mantendo as características intrínsecas do bem retrofitado. Não se trata simplesmente de uma reconstrução, pois esta implicaria em uma simples restauração. Ao invés disto, busca-se o renascimento. No mundo da construção, a arte de retrofitar está aliada ao conceito de preservação da memória e da história. 

A prática do retrofit surgiu e foi desenvolvida na Europa, onde ocupa importância crescente devido à enorme quantidade de edifícios antigos e históricos. Também é bastante usada nos Estados Unidos. Nestes países a rígida legislação não permitiu que o rico acervo arquitetônico fosse substituído, abrindo espaço para o surgimento desta solução que preserva o patrimônio histórico ao mesmo tempo em que permite a utilização adequada do imóvel. 

A motivação principal é revitalizar antigos edifícios, aumentando sua vida útil usando tecnologias avançadas em sistemas prediais e materiais modernos, compatibilizando-os com as restrições urbanas e ocupacionais atuais, sem falar da preservação do patrimônio histórico, sobretudo o arquitetônico. 



Pequenos hotéis, grandes negócios!!!!